Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ideologia de SEXO

A Ideologia de Género [SEXO] desintegra a família para parir um ser solitário e sem raízes: o consumidor e súbdito perfeito.

Ideologia de SEXO

A Ideologia de Género [SEXO] desintegra a família para parir um ser solitário e sem raízes: o consumidor e súbdito perfeito.

UMA ALUNA teme que o seu sonho de se tornar advogada de direitos humanos esteja em frangalhos depois

A estudante de direito do último ano Lisa Keogh, 29 anos, enfrenta uma acção disciplinar formal da Universidade de Abertay, em Dundee, por seus alegados comentários "ofensivos" e "discriminatórios" feitos durante seminários de feminismo.

A estudante de direito do último ano, Lisa Keogh, agora está preocupada com seu futuro

Keogh está sendo criticada depois de outros estudantes se terem sentido ofendidos com os seus comentários, inclusive quando ela diz que o sexo feminino não é fisicamente tão forte quanto o masculino.

A aluna foi denunciada por colegas mais jovens depois de afirmar que entendia que as mulheres nascem com órgãos genitais femininos e que “a diferença na força física dos homens em relação às mulheres é um facto”.

A princípio, Keogh, mãe de dois filhos, disse que achava que os e-mails dos colegas a acusá-la de ser transfóbica eram "uma piada". Agora, teme ser expulsa da universidade antes de se formar.

Ela disse ao The Times : “Estou preocupada que a minha chance de me tornar advogada e contribuir positivamente (para a sociedade) possa acabar apenas porque algumas pessoas ficaram ofendidas”.

Joanna Cherry QC, MP do SNP para o sudoeste de Edimburgo e vice-presidente do comitê conjunto dos direitos humanos dos Lordes e Comuns, considerou a acção uma farsa. Cherry perguntou à Abertay como é que ela protegia os direitos dos estudantes à liberdade de expressão sob a Convenção Europeia de Direitos Humanos. Ela disse:

"A Sra. Keogh está a ser submetida a um procedimento disciplinar no qual a sanção final é a expulsão, por apresentar opiniões baseadas em factos biológicos e por se opor a declarações abrangentes como 'todos os homens são estupradores'."

Keogh diz que não teve a intenção de ofender, mas sim de participar num debate:

“Achei que não haveria como a universidade me perseguir por utilizar o meu direito legal à liberdade de expressão. Não neguei ter dito essas coisas e disse à universidade exactamente por que o fiz. Você tem que ser capaz de trocar opiniões divergentes livremente, caso contrário não é um debate."

A maior penalidade da Universidade de Abertay por má conduta é a expulsão

Keogh afirma também que foi silenciada por um palestrante, durante um seminário de vídeo, quando levantou questões de segurança sobre mulheres trans que participavam de lutas de artes marciais mistas. Ela acrescentou:

"Fui abusada e insultada por outros alunos, que me disseram que eu era uma 'típica garota cis branca'."

A política de má conduta da universidade inclui “usar linguagem ofensiva” ou “discriminar contra a redesignação de género” - com a expulsão a pena mais alta.

A Universidade Abertay disse ao The Times que não faz comentários sobre questões disciplinares.

Artigo traduzido 

Twitter suspende parlamentar espanhola por dizer que homens não podem engravidar

O MP Francisco José Contreras, do partido Vox, foi temporariamente suspenso pelo Twitter por responder a uma notícia que afirmava que um homem grávido deu à luz uma criança. 

O tweet de Contreras, que dizia “Isso é mentira. Um homem não pode engravidar. Homem não tem útero nem ovários ”, instigou a plataforma a agir num debate que vem ganhando cada vez mais destaque em Espanha.

O Twitter alegou que o tweet do MP violou as suas políticas de combate ao "ódio, ameaças, assédio e / ou fomento à violência contra pessoas" com base em "raça, origem, etnia, nacionalidade, orientação sexual, género, identidade de género, religião, idade, deficiência, ou doença. ”

twi.png

 

O partido Vox, que vem experimentando sucessos eleitorais cada vez maiores em Espanha, foi anteriormente censurado pelo Twitter por destacar as taxas de criminalidade entre os imigrantes ilegais.

Contreras, que é vice-líder do Vox e professor de filosofia jurídica, disse que a decisão de suspendê-lo foi “biologia fascista” e que da próxima vez ele tentaria “2 + 2 = 4” com a equipe do Twitter.

O jornalista espanhol e autor de “Por que parei de estar na esquerda”, Mario Noya, disse que a decisão de suspender o MP “fede”.

Artigo traduzido: https://gript.ie/twitter-spanish-mp-men-pregnant/?inf_contact_key=c03cd4fdf6fef73e12df148a8c7f2db7b7af0999dac2af6212784c39e05d2aef 

 

 

O departamento do Sr. Jenrick lançou uma revisão em Novembro passado para “garantir um melhor fornec

Christopher Hope 

· 4 min de leitura

 
Um símbolo indica um banheiro de gênero neutro no Centro de Congressos, antes da 50ª reunião anual do Fórum Econômico Mundial - ALESSANDRO DELLA VALLE / EPA-EFE / REX / REX
 
Um símbolo indica um banheiro de gênero neutro no Centro de Congressos, antes da 50ª reunião anual do Fórum Econômico Mundial - ALESSANDRO DELLA VALLE / EPA-EFE / REX / REX

Prédios públicos terão que ter WC's separados para 'mulheres' e 'homens' no futuro num golpe para os activistas que querem instalações mais neutras em termos de género .

Telegraph pode divulgar que Robert Jenrick , secretário das Comunidades, deve alterar os regulamentos de construção e as directrizes de planeamento para garantir que instalações separadas para 'mulheres' e 'homens' sejam instaladas em novos edifícios ou nos que estão a ser desenvolvidos.

De acordo com as mesmas fontes: Os edifícios que já tinham lavabos unissex, que são compartilhados por homens e mulheres, também enfrentam a necessidade de instalar divisórias para garantir que a privacidade dos ocupantes seja “totalmente respeitada”.

O departamento do Sr. Jenrick lançou uma revisão em Novembro passado para “garantir um melhor fornecimento de  casas de banho para mulheres e homens”.

Isso aconteceu depois de protestos sobre a forma como empresas e autoridades destruíram os WC's masculinos e femininos e os substituíram por WC's neutros.

As evidências mostram que as mulheres enfrentam dificuldades crescentes de acesso aos WC's de um único sexo porque muitos foram convertidos em banheiros "neutros em termos de género".

O Home Office instalou WC's neutros em termos de género em 2018.

A BBC possui WC's com género neutro em todos os seus prédios, além de WC's para homens e mulheres. O Canal 4 instalou instalações de género neutro em 2017.

As mudanças aplicar-se-ão a novos edifícios ou edifícios existentes, como escritórios, lojas e locais de entretenimento, bem como edifícios com financiamento público, como hospitais, passando por grandes reformas quando a aprovação da regulamentação de construção é necessária para as obras.

Segundo as mudanças, os prédios terão que fornecer WC's separados para as mulheres “devido às necessidades específicas de saúde das mulheres e ao facto de que os mictórios masculinos podem atender mais clientes a um ritmo mais rápido”, disseram fontes departamentais.

Os edifícios com a chamada “disposição unissex” terão de oferecer cubículos totalmente autónomos, com bacias internas, para proteger a privacidade dos ocupantes.

Um banheiro e um mictório em um banheiro recém-inaugurado sem gênero no prédio de escritórios da Administração do Senado para o Trabalho, Integração e Mulheres (Senatsverwaltung fuer Arbeit, Integration und Frauen) em 24 de novembro de 2015 em Berlim , Alemanha - Sean Gallup / Getty
 

















Uma casa de banho e um urinol num WC recém-inaugurado sem género no prédio de escritórios da Administração do Senado da cidade para Trabalho, Integração e Mulheres (Senatsverwaltung fuer Arbeit, Integration und Frauen) em 24 de novembro de 2015 em Berlim, Alemanha - Sean Gallup / Getty


Uma fonte próxima a Jenrick disse: “É uma necessidade para as mulheres terem acesso aos seus próprios WC's, mas muitas vezes WC's separados por sexo estão a ser removidos furtivamente - causando grande angústia.

“Ouvimos as preocupações levantadas por mulheres e idosos sobre a sua segurança, dignidade e protecção e vamos manter e melhorar as salvaguardas actualizando os regulamentos a fim de garantir que haja sempre a provisão necessária de WC's separados para todos na comunidade. 

“Essas mudanças ajudarão a manter as salvaguardas que protegem as mulheres e a provisão adequada de WC's separados, que há muito é uma exigência regulatória, será mantida e melhorada.

“Reconhecemos que deve haver uma prestação de serviço público para todos em nossa comunidade e queremos ajudar a cumprir esse objectivo.”

A “análise técnica” de Jenrick analisou a proporção de WC's femininos necessários em relação aos masculinos, dada a “necessidade óbvia de as mulheres sempre usarem cubículos”, de acordo com uma fonte.

A resposta do governo irá “abordar os equívocos de que a remoção de banheiros específicos para cada sexo é um requisito da legislação de igualdade”, disse uma fonte.

“As propostas também alinharão as regras de construção com os requisitos legais existentes para o fornecimento de WC's mistos nas escolas”, acrescentou.

O Old Vic Theatre, no centro de Londres, foi criticado em 2019, quando converteu todos os seus WC's masculinos e femininos em WC's neutros.

Um usuário reclamou após a reforma: “Os usuários são, em teoria, livres para se auto-selecionar em blocos rotulados somente de baias e blocos contendo mictórios. O problema é óbvio: as mulheres não podem usar mictórios. ”

Em fevereiro do ano passado, um colega conservador advertiu que WC's com género neutro deixavam as mulheres desconfortáveis ​​e deveriam ser substituídos por instalações para pessoas do mesmo sexo.

Lord Lucas disse num debate na Câmara dos Lordes que metade de todos os WC's e vestiários em prédios públicos deveriam ser apenas para mulheres. Segundo ele:

“Algumas instituições converteram os seus WC's comunitários para mulheres e homens em  WC's de género neutro. Outras converteram vestiários de forma semelhante. Isso é desejável ou justificado? Em que pesquisas sobre as necessidades das pessoas se baseia? Alguém - e as mulheres em particular - foi consultado? Em quem é que isso provoca desvantagem? Nas Mulheres que não desejam, por motivos de desconforto ou religião, encontrar-se num espaço fechado e despercebido com os homens."

Artigo traduzido de: https://news.yahoo.com/exclusive-return-ladies-gents-lavatories-213416456.html?inf_contact_key=1f06c0b3fb3119bac0740c1c3091955dd18a532c4142cb79caf2b269de1401fa 

 




Na lateral da caixa 'Juntamente com o Orgulho', as crianças poderão escolher ele, ela ou ele

 
 Imagem em destaque
 
 

14 de maio de 2021 (LifeSiteNews) - Na manchete mais apetitosa de 2021, o Weekly Metro anunciou que “os novos cereais LGBTQ da Kellogg's querem encher a sua boca de orgulho”, porque tudo deve ser gay agora e a virtude deve ser sinalizado. As grandes empresas perceberam que há muito dinheiro em se embrulhar na bandeira do arco-íris e, à medida que o "Mês do Orgulho" (sim, um mês inteiro) se aproxima, avatares corporativos de mídia social, caixas eletrônicos e placas de negócios ficarão subitamente enfeitados em arco-íris. 

A Kellogg's, que tradicionalmente é conhecida por seus desenhos animados, está fazendo parceria com a GLAAD (Gay & Lesbian Alliance Against Defamation) para lançar uns novos cereais chamados "Together With Pride", que chegarão às prateleiras no próximo mês e custarão US $ 4 a caixa roxa - $ 3 dos quais irão para GLAADOs cereais em si contarão com cereais da cor do arco-íris em forma de coração e glitter comestível. A Kellogg's, que já fez parceria com a GLAAD pelo menos uma vez, apresentou quase todos os seus famosos personagens de desenhos animados na caixa.

“Acreditamos que todos os jovens e os jovens de coração merecem um ambiente onde possam crescer e serem o que têm de melhor”, diz a legenda da caixa. “É por isso que unimos forças com o GLAAD indo para o roxo no Spirit Day para nos levantarmos contra o bullying em todas as formas e apoiar um mundo mais receptivo para os jovens LGBTQ.” 

Nem é preciso dizer que esse tipo de golpe publicitário também permite que a Kellogg's apareça como estando no lado certo da história, em vez de ser meramente um cereal matinal - e é importante, aparentemente, que as crianças pensem profundamente sobre as questões gays enquanto tomam o pequeno almoço.

Na verdade, a Kellogg's fez de tudo para garantir que seus filhos despertem logo depois de acordarem. Na lateral da caixa, as crianças são solicitadas a escolher seus pronomes , com opções como “ele / ele”, “ela / ela” e “eles / eles”, o que, se você não acompanhou, não é t plural tanto quanto “não binário” ou apenas confuso. Existem também alguns espaços em branco úteis caso você (pai e mãe) queira preencher o seu próprio, porque neste estágio da revolução, estamos apenas inventando coisas e todos têm que concordar com isso. (Não estou brincando. Um adolescente inteligente escolheu "Sua Majestade" como seu pronome preferido.) 

Esse tipo de coisa tornou-se padrão nos últimos anos e é uma boa indicação de para que lado sopram os ventos culturais. 

As corporações são gananciosas e, portanto, têm três motivos principais para se tornarem gays: primeiro, elas sentem que a cultura está se inclinando nessa direcção e, portanto, desejam ser vistas exactamente onde os seus clientes estão. Em segundo lugar, muitos líderes empresariais são liberais podres e ricos que se sentem culpados por estarem bem de vida e sentem a necessidade de justificar a sua riqueza. Portanto, juntar-se à revolução pelo lado certo é uma maneira de fazer isso. 

E, terceiro, muitas empresas estão enganando os seus funcionários em favor dos seus acionistas ou utilizando mão de obra barata nos países em desenvolvimento, por isso ajuda ter algumas credenciais activas para afastar as perguntas dos progressistas que trocam sinais de virtude social por políticas esquerdistas reais. O poder corporativo pode estar crescendo a uma taxa que faz a Era Dourada parecer pobre, mas a GLAAD tem o prazer de fornecer cobertura em troca de alguns dólares para exibições decadentes de nudez pública. Orgulho feliz a todos. 

Traduzido de: https://www.lifesitenews.com/blogs/kids-can-explore-pronoun-options-on-box-of-kelloggs-new-pride-cereal